domingo, 20 de outubro de 2019

Agência de intercâmbio é uma opção de negócios para a Austrália



Estando de olho na aparição de novas mas raras oportunidades de  negócios para a Austrália que sejam lucrativas e mantenham vinculos com o Brasil, os maiores empreendedores e investidores do país começam a se mobilizar e traçar novas estratégias para a formatação de agências de intercâmbio para estudos na Austrália. No último dia 16 de outubro, o DEA (“Department of Education, Australia”/Departamento de Educação da Austrália) , lançou um relatório sobre a relevância do agente de educação dentro do setor da educação internacional da Austrália, uma vez que os agentes participaram em aproximadamente 75% das matrículas realizadas pelos estudantes internacionais em 2018. O governo australiano considera como parceiros valiosos devido a variedade de serviços que oferecem aos estudantes interessados no intercâmbio na Austrália e, em muitos casos, são o primeiro ponto de contato do potencial aluno com o sistema educacional da Austrália. 

A atual legislação australiana, “Education Services for Overseas Students Act 2000” (ESOS Act), junto com o Código Nacional de Ética dos Provedores de Educação e Treinamento aos Estudantes Estrangeiros 2018 (“National Code of Practice for Providers of Education and Training to Overseas Students 2018” /National Code) reconhecem os desafios no controle dos agentes de educação, com muitos estabelecidos fora da Austrália. O ESOS Act e o National Code estabelecem as escolas australianas como responsáveis em assegurar que as agências de intercâmbio que escolhem para representa-las atuem ética, honestamente e sempre no melhor interesse dos estudantes internacionais.

O investimento inicial para você tornar-se um agente de educação e ter uma agência de intercâmbio para a Austrália é bem baixo, pois poderá trabalhar, se assim preferir, de sua casa tendo uma conexão boa de internet e o seu próprio website. Aliás, até mesmo a manutenção do website poderá ser gratuita se escolher montar um estilo blog do Google, por exemplo. Mas precisará ter um conhecimento de pelo menos intermediário do inglês na leitura e escrita para poder comunicar-se com as escolas australianas e orientar os seus futuros clientes no preenchimento em inglês nos seus respectivos formulários de matrícula”, opina o mentor empresarial e agente especialista de  imigração, MaCson Queiroz JP.

Envolvimento das agências de intercâmbio nas matrículas escolares

Em 2018, havia 6.878 agências ativas e 19.413 agentes de educação envolvidos nos processos de matrículas dos estudantes internacionais em escolas australianas. Sabendo-se que agências de intercâmbio são empresas constituídas e  agentes de educação são indivíduos que orientam os estudantes. Ou seja, uma agência de intercâmbio pode ser constituída de um agente de educação ou mais.  A porcentagem das matrículas facilitadas por um agente de educação variam de acordo com o setor educacional acionado. Como pode-se esperar, os estudantes prospectivos procurando fazer um curso de inglês, setor educacional denominado como “English Language Intensive Courses for Overseas Students”(ELICOS), são os que mais utilizam os serviços dos agentes de educação.

Tem havido um gradual aumento do envolvimento de agentes de educação nas matrículas nos últimos cinco anos em vários setores educacionais, tais como: ensino superior (“Higher Education”), vocacionais (“VET”), ensino fundamental e médio (“Schools”) e ELICOS. Sendo assim, observou-se que em 2018 a porcentagem das matrículas facilitadas por um agente de educação foram as seguintes: Higher Education(73%), VET(74%), Schools(78%) e ELICOS(86%).

A porcentagem de matrículas facilitadas pelos agentes também varia entre as principais nacionalidades estudantis da Austrália. Notavelmente, países parceiros emergentes como Nepal, Brasil e Colômbia têm uma proporção maior de matrículas facilitadas por agentes de educação , em comparação com os mais tradicionais e estabelecidos países parceiros da Austrália  como China, Índia e Malásia. Por exemplo, o Brasil teve 92% como porcentagem media de matrículas facilitadas pelos agentes, os quais representaram 479 agências de intercâmbio. Já a  Colômbia foi de 89% com 423, China de 73% com 1892 e  Índia de 72% com 1427 agências de intercâmbio.

A oportunidade de negócios e empreendedorismo está demonstrada nos números oficiais do governo australiano. O número de brasileiros interessados em estudar na Austrália tem aumentado anualmente e análises do desempenho de outros países evidenciam que o Brasil pode comportar o triplo do número de agências de intercâmbio ativas que possue no momento”, afirma o sócio cofundador da startup da Veg Oxi MP , fundador e diretor da M.Quality, única agência brasileira de imigração, internaciolização e negócios com mais de 18 anos de atuação na Austrália. 
   
Números oficiais sobre o desempenho comercial das agências brasileiras de intercâmbio

Este é um relatório ímpar pois os números revelados abaixo são oficiais e seguros do Departamento de Educação da Austrália e é praticamente impossível obter diretamente das agências de intercâmbio envolvidas sem estar infringindo termos de sigilo comercial.

Durante 2018, as 479 agências brasileiras de intercâmbio realizaram um média de 77 matrículas cada e trabalharam com 7 provedores educacionais australianos em média. Houve um aumento no número de agências de educação que trabalham com provedores australianos nos últimos cinco anos. Embora em parte isso reflita uma melhor captura de dados, também reflete o crescimento das matrículas de alunos. Entre 2014 e 2018, as matrículas cresceram 35%, mais rápido que o crescimento de 27% no número de agências.  Este é mais um indicativo que agência de intercâmbio é uma ótima opção e segura de negócios para a Austrália.

Leve isto em consideração para os seus cálculos de investimento e retorno do mesmo: a) 92% dos brasileiros que vem estudar na Austrália, utilizaram os serviços de uma agência de intercâmbio; b) 86% dos brasileiros que vem estudar na Austrália, fazem inicialmente um curso de inglês; c) na média estudam 6 meses de inglês e pagam A$230(~R$634) por semana; d) isto resulta em aproximadamente A$1,200 como comissão de um único estudante, agora seu cliente; e) de acordo com os números oficiais acima, o seu faturamento anual em média poderá ser no mínimo de A$92,400 (77 x A$1,200), significando uma renda bruta de A$7,700 ao mês; f) lembrando se for um empreendedor esclarecido no funcionamento da mídias sociais, poderá você mesmo fazer o seu marketing digital  tornando o seu investimento inicial inferior a R$5.000,00. Se isto não for uma ótima oportunidade de negócio para você, é melhor continuar apostando na Lotto...”, explica o diretor da M.Quality, referência em imigração e negócios para a Austrália no Brasil.

O recomendável é que os interessados nesta oportunidade de investimento ou empreender  uma agência de intercâmbio para a Austrália assegurem-se que estão seguindo estritamente os requisitos legais exigidos pelo governo australiano para a futura representação de algum provedor educacional australiano.

Sobre a M.Quality - A M.Quality é uma empresa de assessoria em imigração, negócios e intercâmbio especializada em processos de visto para a Austrália. Fundada em 2001, é a única agência brasileira do setor que possui licença validada pelo governo australiano há mais de 18 anos que comercializa o kit agência de intercâmbio para a Austrália. A M.Quality foi criada na Austrália e no Brasil por meio do empreendedorismo de MaCson Queiroz JP, businessman,  engenheiro eletrônico pela Escola de Engenharia Mauá (SP), ex-instrutor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/SP) e reconhecido consultor imigratório no país. Com sede em Sydney, a empresa possui também escritório em São Paulo. Para mais informações, visite www.mquality.com.br; siga o blog da empresa em http://mqualitynews.blogspot.com/ e no LinkedIn em www.linkedin.com/in/macson-queiroz-jp e Facebook em www.facebook.com/ImigracaoNegociosParaAustralia.



segunda-feira, 7 de outubro de 2019

Oportunidades de crescimento para as Startups brasileiras na Austrália




Segundo a base de dados da Associação Brasileira de Startups (Abstartups), a qual mantém o maior banco de dados de startups da nação, o Brasil possui mais de 12 mil Startups atuantes. É um número surpreendentemente bom principalmente quando leva-se em consideração a persistente crise econômica que o país ainda está atravessando. Mas qual seria um dos motivos contribuidores que fazem este setor prosperar mesmo neste ambiente hostil?

Todos sabem que para existir uma startup tem que haver uma conexão forte com o significado da palavra “inovação”, quer seja nos seus produtos ou serviços. E até hoje não é possível inovar sem pesquisar. Ou seja, pesquisa faz parte do DNA de qualquer startup principalmente para aquelas startups que alegam possuir um produto ou serviço único no mercado nacional ou internacional e é aqui onde é anunciada esta oportunidade incrível de crescimento para as Startups brasileiras na Austrália.

A Austrália está com uma oferta sensacional de bolsa de estudos em PhD patrocinada pela prestigiosa “Queensland University of Technology”(QUT) que concederão somente aos latinos americanos (Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Peru, Equador, Paraguai e Uruguai). Isto significa que os outros 187 países do globo não podem concorrer com as vagas limitadas desta bolsa de estudo! Não poderia-se imaginar vantagem inicial melhor do que esta, mas tem mais...

A bolsa de estudos tem a duração de até 3 anos e pagarão A$30 mil por ano de estudo( ~R$82.000) ao contemplado! Ou seja, pagarão todas as suas taxas escolares, acomodação, alimentação, seguro saúde e até mesmo despesas com lazer, pois na Austrália saúde mental é um assunto levado muito a sério.

A QUT tem um amplo menu para a sua escolha do seu propósito de pesquisa e não será difícil conciliar as necessidades de sua startup com as da universidade. Sendo assim, é uma ótima oportunidade para os fundadores e sócios de uma startup ou mesmo de enviar um de seus colaboradores chaves para estes estudos, pois praticamente tudo será gratuito desde a inscrição as passagens aéreas, mas não as despesas de visto as quais representam menos que 2% do valor da bolsa de estudo.

“Há várias áreas de pesquisa em oferta, as quais incluem as de inovação em saúde e biomédicas, agro, tecnologia, energia, educação e outras.  Esta é a melhor chance internacional de crescimento para as startups brasileiras e latinas que a Austrália faz neste ano. Mas não deixe para amanhã em iniciar este processo, pois deve estar tudo pronto para iniciar os seus estudos em 2020” , opina o mentor e agente especialista de  imigração, MaCson Queiroz JP. Ele é sócio cofundador da VegQuality , fundador e diretor da M.Quality, única agência brasileira de imigração, internaciolização e negócios com mais de 18 anos de atuação na Austrália. 

O recomendável é que os interessados nesta oportunidade de crescimento para as Startups brasileiras na Austrália assegurem-se que estão seguindo estritamente os requisitos escolares exigidos pelas autoridades para a futura matrícula num curso PhD ao certificarem a informação que necessitam está correta, conversando antes com quem possa dar-lhe um seguro e garantia de tudo o que diz ser real e verdadeiro e em escrito para evitar perdas financeiras e frustrações. 

O processo da matrícula num curso PhD com propósito de obter uma bolsa de estudo para a sua realização exige uma consultoria planejada meticulosamente. Uma consultoria educacional  inclui um auxílio para a escolha de um supervisor e principalmente no preparo da sua entrevista obrigatória que terá com o mesmo, pois o seu sucesso ou não poderá ser decidido nesta fase.

Sobre a M.Quality - A M.Quality é uma empresa de assessoria em imigração, negócios e intercâmbio especializada em processos de visto para a Austrália. Fundada em 2001, é a única agência brasileira do setor que possui licença validada pelo governo australiano há mais de 18 anos. A M.Quality (http://www.mquality.com.br/ ) foi criada na Austrália e no Brasil por meio do empreendedorismo de MaCson Queiroz JP, engenheiro eletrônico pela Escola de Engenharia Mauá (SP), ex-instrutor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/SP) e reconhecido consultor imigratório no país. Com sede em Sydney, a empresa possui também escritório em São Paulo. Seu portal tornou-se uma das mais procuradas fontes seguras de informação sobre imigração e empreendedorismo para a Austrália entre brasileiros e latinos.

sexta-feira, 20 de setembro de 2019

Os números dos empregos na Austrália




A Organização para o Desenvolvimento Econômico(Organisation for Economic Development – “OECD”) divulgou em seu mais recente relatório que o número de imigrantes aos países do OECD aumentou para 5.3 milhões em 2018, um aumento de 2% em relação ao ano de 2017. O relatório também revelou que a imigração para a mão-de-obra temporária cresceu significativamente em 2017, e a Austrália estava na lista dos 10 primeiros países do OECD que recebeu os profissionais em caráter temporário, com mais de 400.000 trabalhadores que conseguiram emprego na Austrália.

Há 28 anos crescendo ininterruptamente, a Austrália desenvolveu um programa generoso com o intuito de atrair profissionais estrangeiros e brasileiros interessados em conseguir os direitos de trabalho no país, pois empregos na Austrália não faltam.

Por sua vez o porta-voz do Departamento de Imigração da Austrália (DoHA/ Departament of Home Affairs) reforçou na mídia local a importância de sua política imigratória como vetor de desenvolvimento humano e crescimento econômico. Os estudos indicam que a Austrália segue um movimento contrário ao fechamento de fronteiras em outros países, como os Estados Unidos.

De forma geral, a sociedade australiana valoriza a participação dos imigrantes nas características populacionais da Austrália e no vigor econômico nacional. Grupos imigrantes específicos são rotineiramente mencionados na imprensa local como responsáveis por definir determinadas vocações produtivas e culturais em partes significativas do país.

O discurso do DoHA contribuiu principalmente para dissipar anseios de que a Austrália tenderia a frear por completo o incentivo à imigração. Ao contrário disso, o DoHA reafirmou o papel dos imigrantes na prosperidade econômica do país. Somente na última década, 59% do crescimento populacional foi garantido pela chegada de estrangeiros, afirma o DoHA. E nos últimos 40 anos, fatores populacionais (com ênfase na imigração) contribuíram com 18% do crescimento anual médio de 1,7% na renda per capita do australiano.

Atualmente, a população é integrada por imigrantes de aproximadamente 300 diferentes origens, o que indica uma diversidade cultural (com a prática de pelo menos 100 religiões) e linguística (cerca de 300 línguas faladas no país). As capitais de estados concentram 83% da população estrangeira nacional. No caso de Sydney, Perth e Melbourne, 40% da população nasceram em outro país.
“O programa de imigração para a Austrália continua com ótimas oportunidades para que brasileiros qualificados trabalhem e morem no país para obterem a tão sonhada residência permanente”, opina o agente de imigração MaCson Queiroz JP. Ele é fundador e diretor da M.Quality, única agência brasileira de imigração e negócios com mais de 18 anos de atuação na Austrália.

O recomendável é que os interessados neste programa de imigração para a Austrália assegurem-se ao certificarem a informação que necessitam está correta, conversando antes com quem possa dar-lhe um seguro e garantia de tudo o que diz ser real e verdadeiro e em escrito para evitar perdas financeiras e frustrações. “Nós não fazemos propaganda enganosa, pois adquirindo conosco mesmo sendo um simples intercâmbio de estudos  para a Austrália com apenas 3 meses de duração, vem obrigatoriamente com um seguro contra fraudes legalmente garantido pelas autoridades. Este seguro é totalmente legislado pelo OMARA (“Office of the Migration Agents Registration Authority” – uma espécie de secretaria de defesa e proteção aos direitos do consumidor criado pelo  governo australiano)”, explica o diretor da M.Quality.

O processo de intercâmbio com propósito de obter uma residência permanente na sua conclusão exige uma consultoria imigratória planejada meticulosamente. Uma consultoria imigratória oficial  passa inicialmente por entrevistas que avaliam o perfil individual ou empresarial e indicam a modalidade de visto mais adequada a cada solicitante. Informações completas acerca do contexto australiano e das oportunidades ofertadas pelo DoHA (responsável pela política de migração) podem ser encontradas no portal da M.Quality (http://www.mquality.com.br/ ).

Sobre a M.Quality - A M.Quality é uma empresa de assessoria em imigração, negócios e intercâmbio especializada em processos de visto para a Austrália. Fundada em 2001, é a única agência brasileira do setor que possui licença validada pelo governo australiano há mais de 18 anos. A M.Quality (http://www.mquality.com.br/ ) foi criada na Austrália e no Brasil por meio do empreendedorismo de MaCson Queiroz JP, engenheiro eletrônico pela Escola de Engenharia Mauá (SP), ex-instrutor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/SP) e reconhecido consultor imigratório no país. Com sede em Sydney, a empresa possui também escritório em São Paulo. Seu portal tornou-se uma das mais procuradas fontes seguras de informação sobre imigração e empreendedorismo para a Austrália entre brasileiros e latinos.

quinta-feira, 5 de setembro de 2019

Lista das profissões mais seguras para conseguir imigração para a Austrália




O programa de imigração para a Austrália continua com ótimas oportunidades para que estrangeiros qualificados trabalhem e morem no país para obterem a tão sonhada residência permanente. O Departamento de Imigração da Austrália (DoHA/ Departament of Home Affairs) publicou recentemente que ainda estão disponíveis mais de 16800 vagas no programa de imigração para a Austrália para um seleto grupo de profissões que nem mesmo exige o 2º. Grau completo na sua maioria absoluta. O DoHA também informou que no último ano fiscal australiano( julho/18 a junho/19) houve menos que 13 candidatos desta lista de profissões: carpinteiros, marcineiros, supervisor de obras, pedreiros e azulegistas.

“No entanto a não exigência de um curso superior na maioria das ocupações desta lista de profissões não significa que será dispensado de demonstrar um nível mínimo de intermediário no conhecimento do inglês. O inglês é o idioma oficial da Austrália e o governo quer que os imigrantes cheguem aptos para trabalhar, pois a escassez acentuada de profissionais qualificados destas ocupações  na Austrália é uma realidade nos centros urbanos e  mais acentuadamente nas cidades regionais, onde nestas últimas existem os maiores incentivos do governo federal para atrair tais profissionais”,  opina o agente de imigração MaCson Queiroz JP. Ele é fundador e diretor da M.Quality, única agência brasileira de imigração e negócios com mais de 18 anos de atuação na Austrália.

É notório verificar que o governo australiano está oferecendo vários incentivos para que as mulheres entrem nestas áreas profissionais, já que atualmente a participação feminina não ultrapassa 3%, de acordo com as mais recentes estatísticas do Australian Bureau of Statistics(ABS).

Um dos incentivos que contribuem para a oportunidade de tornar-se elegível ao programa de imigração para a Austrália através desta lista de ocupações mais seguras é o fato que nem mesmo experiência profissional será exigido, desde que realize um curso profissionalizante na Austrália relevante em uma das ocupações da lista. “Isto significa que após apenas 2 anos de curso as suas chances de sucesso aumentarão enormemente na obtenção da tão sonhada residência permanente na Austrália em qualquer estado ou cidade da Austrália , dependendo de sua situação imigratória antes de iniciar o curso”, avalia Queiroz JP.

Segundo o ABS a taxa de desemprego mensal na Austrália nunca superou os 6,0% nos últimos 12 meses e a previsão é de que esse índice venha a baixar ainda mais nos próximos anos, de acordo com o site de economia Trading Economics.

“Alguns estados da Austrália chegam a ter uma taxa bem abaixo de 3,5%, o que mostra que essas regiões estão desfalcadas de trabalhadores, principalmente para o seleto grupo de profissões”, completa MaCson.

O recomendável é que os interessados neste programa de imigração para a Austrália assegurem-se ao certificarem a informação que necessitam está correta, conversando antes com quem possa dar-lhe um seguro e garantia de tudo o que diz ser real e verdadeiro e em escrito para evitar perdas financeiras e frustrações. “Nós não fazemos propaganda enganosa, pois adquirindo conosco um intercâmbio de estudos  para a Austrália até mesmo com apenas 3 meses, vem obrigatoriamente com um seguro contra fraudes legalmente garantido pelas autoridades. Este seguro é totalmente legislado pelo OMARA (“Office of the Migration Agents Registration Authority” – uma espécie de secretaria de defesa e proteção aos direitos do consumidor criado pelo  governo australiano)”, explica o diretor da M.Quality.

O processo de intercâmbio com propósito de obter uma residência permanente na sua conclusão exige uma consultoria imigratória planejada meticulosamente. Uma consultoria imigratória oficial  passa inicialmente por entrevistas que avaliam o perfil individual ou empresarial e indicam a modalidade de visto mais adequada a cada solicitante. Informações completas acerca do contexto australiano e das oportunidades ofertadas pelo DoHA (responsável pela política de migração) podem ser encontradas no portal da M.Quality (http://www.mquality.com.br/ ).

Sobre a M.Quality - A M.Quality é uma empresa de assessoria em imigração, negócios e intercâmbio especializada em processos de visto para a Austrália. Fundada em 2001, é a única agência brasileira do setor que possui licença validada pelo governo australiano há mais de 18 anos. A M.Quality (http://www.mquality.com.br/ ) foi criada na Austrália e no Brasil por meio do empreendedorismo de MaCson Queiroz JP, engenheiro eletrônico pela Escola de Engenharia Mauá (SP), ex-instrutor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/SP) e reconhecido consultor imigratório no país. Com sede em Sydney, a empresa possui também escritório em São Paulo. Seu portal tornou-se uma das mais procuradas fontes seguras de informação sobre imigração e empreendedorismo para a Austrália entre brasileiros e latinos.

terça-feira, 3 de setembro de 2019

Lista das ocupações que exigem emprego no programa de imigração para a Austrália



Os profissionais que estavam com planos de ingressar no programa de imigração para a Austrália com o apoio do estado mais rico da nação, New South Wales(NSW), devem agora se precaver se a sua profissão não consta da lista das ocupações que exigem uma prova que já estejam trabalhando em NSW por um período não inferior a 12 meses.

O estado de NSW tem um bom motivo para ser o mais procurado pelos aspirantes a elegibilidade no programa de imigração para a Austrália. De acordo com o Australian Bureau of Statistics, NSW continua disparado o estado campeão no número de autorizações para o ingresso no programa de imigração para a Austrália já que sua participação supera 32% do total de profissionais.

“Mas devido a este sucesso de NSW no programa de imigração para a Austrália que traz esta nova restrição imigratória devido a não prevista popularidade alcançada pelas profissões apontadas na lista. As consequências estão sendo calamitosas para muitos que ainda nem estão na Austrália e já investiram um bom dinheiro nesta preparação sem terem elaborado um plano B para imigração a Austrália”,  comenta o agente de imigração MaCson Queiroz JP. Ele é fundador e diretor da M.Quality, única agência brasileira de imigração e negócios com mais de 18 anos de atuação na Austrália.

Lista....

Abaixo encontra a lista das ocupações que exigem emprego regional de NSW no programa de imigração para a Austrália.

ANZSCO
Código
Ocupação
132211
Finance Manager
221111
Accountant (General)
221112
Management Accountant
221113
Taxation Accountant
221213
External Auditor
221214
Internal Auditor
233111
Chemical Engineer
233211
Civil Engineer
233311
Electrical Engineer
233411
Electronics Engineer
233511
Industrial Engineer
233512
Mechanical Engineer
233513
Production or Plant Engineer
241411
Secondary School Teacher
254415
Registered Nurse (Critical Care and Emergency)
254499
Registered Nurses nec
261111
ICT business Analyst
261112
Systems Analyst
261311
Analyst Programmer
261312
Developer Programmer
261313
Software Engineer
261314
Software Tester
262112
ICT Security Specialist
263111
Computer Network and Systems Engineer
263311
Telecommunications Engineer
263312
Telecommunications Network Engineer
Fonte: NSW Department of Planning,Industry and Environment

Plano B....

Enquanto que no restante da Austrália  para suprir a necessidade de um mercado regional em franca expansão o governo mantém programas de imigração a Austrália baseados na atração de profissionais qualificados, como o Skilled Migration Program. Vistos de trabalho também são ofertados para suprir necessidades temporais do mercado (como na agricultura, nos períodos de colheita da safra) ou de segmentos que precisam tradicionalmente da mão de obra estrangeira (como o setor de hospitality). “Cada categoria de visto, no entanto, demanda um processo específico de candidatura a postos de trabalho e à imigração. Um acompanhamento profissional e com vasto conhecimento sobre o contexto do mercado de trabalho australiano é imprescindível”, recomenda o diretor da M.Quality.

Segundo Queiroz, as mudanças frequentes das normas de migração na Austrália resultam exatamente do acompanhamento sistemático do governo sobre o comportamento da economia. De acordo com as demandas estratégicas para atração de mão de obra e para distribuir profissionais segundo a necessidade de cada mercado regional, a política migratória sofre adaptações. “Profissionais interessados em obter um visto de trabalho regional na Austrália, portanto, devem estar muito atentos a essas alterações para não comprometer os próprios investimentos de tempo e recursos financeiros num processo malsucedido”, aconselha Queiroz JP.

O processo indicado numa consultoria imigratória passa inicialmente por entrevistas que avaliam o perfil de cada profissional e indicam a modalidade de visto mais adequada a cada solicitante. Informações completas acerca do contexto australiano e das oportunidades ofertadas pelo Departamento de Home Affairs (responsável pela política de migração) podem ser encontradas no portal da M.Quality (http://www.mquality.com.br/ ).

Sobre a M.Quality - A M.Quality é uma empresa de assessoria em imigração, negócios e intercâmbio especializada em processos de visto para a Austrália. Fundada em 2001, é a única agência brasileira do setor que possui licença validada pelo governo australiano há mais de 18 anos. A M.Quality (http://www.mquality.com.br/ ) foi criada na Austrália e no Brasil por meio do empreendedorismo de MaCson Queiroz JP, engenheiro eletrônico pela Escola de Engenharia Mauá (SP), ex-instrutor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/SP) e reconhecido consultor imigratório no país. Com sede em Sydney, a empresa possui também escritório em São Paulo. Seu portal tornou-se uma das mais procuradas fontes seguras de informação sobre imigração e empreendedorismo para a Austrália entre brasileiros e latinos.

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Ex-vice-presidente do Facebook e Instagram na América Latina declara satisfação com o trabalho de Startup




O empresário argentino Diego Dzodan, ex-vice-presidente do Facebook e Instagram  na  América Latina  e atualmente Co-Founder e Diretor Executivo da Facily, declarou em um vídeo depoimento(https://youtu.be/hgeuFkH43yE ) que ficou satisfeito com os trabalhos realizados pela VegQuality, uma startup brasileira de assessoria e desenvolvimento de soluções para a cadeia produtiva de frutos e hortaliças minimamente processados.

A Facily(https://faci.ly/ ) iniciou-se através do segmento de beleza, com serviços como manicure e design de sobrancelhas, mas expandiu rapidamente para o lucrativo mercado de frutos e hortaliças minimamente processados. Dzodan revela no vídeo que esta expansão somente foi possível devido a assessoria especializada que recebeu da equipe multidisciplinar da VegQuality, a qual mostrou-se ao executivo da Facily possuir uma alta especialidade nos sistemas produtivos e na utilização de tecnologia integrada na maximização do lucro nos mercados de hortifrútis.

A VegQuality, apontada como uma empresa especialista pioneira no Brasil neste segmento não tem atraído somente a atenção e os negócios dos empresários brasileiros e latino-americanos representativos deste mercado, mas também dos capitalistas na Austrália e investidores interessados. A startup brasileira é a distribuidora exclusiva do “Veg Oxi MP”.

O Veg Oxi MP é um antioxidante e conservante natural que amplia o tempo de vida dos frutos, legumes e verduras in natura minimamente processados. Este é o primeiro produto do gênero no mundo que substitui com eficácia os sulfitos e já está sendo distribuído em todo o território brasileiro.

A necessidade deste substituto aos sulfitos advém do fato que infelizmente a quantidade expressiva de géneros alimentícios e bebidas que podem conter os sulfitos é onde que pode ocasionar problemas de saúde. Ou seja, mesmo estando dentro dos limites permitidos por lei, a ingestão diária aceitável (“IDA”) de sulfitos na quantia de 0,7 mg/kg de peso corpóreo dia tem uma enorme probabilidade de ser ultrapassada, pois os sulfitos tem um efeito acumulativo no organismo humano. “A quantidade de sulfito necessária para desencadear as reações adversas em humanos é variável: enquanto certos indivíduos toleram até 4 g de sulfito diariamente sem efeitos indesejáveis, outros reclamam de dores de cabeça, náuseas e diarreia após a ingestão de quantidades muito inferiores”, explica Dra. Roseane Bob, cientista e Co-founder da Veg Oxi MP.

O Veg Oxi  MP (www.vegoxi.com.br), classificado na Comunidade Europeia e  ANVISA como aditivo alimentar(E-300), é  um antioxidante 100% natural, sustentável e orgânico à base ácido ascórbico (vitamina C), destinado a aplicação em  frutas e hortaliças  pós-processamento (descascados, cortados, picados e higienizados).

“O produto não somente age retardando significativamente o processo de oxidação das frutas e hortaliças, mas também preserva a qualidade sensorial (cor, sabor, consistência) e aumenta significativamente(mais de 50%) o “shelf life” (prazo de validade)”, confirmou a cientista.

Após o depósito da patente na Austrália, o Veg Oxi MP passou a ser motivo de interesse dos produtores de morangos de New South Wales(estado do sul australiano). Agora em parceria com a M.Quality, o Veg Oxi  MP está selecionando investidores brasileiros e internacionais para atuar na ampliação da distribuição comercial do produto no Brasil e Austrália, exatamente num momento em que investidores buscam startups com soluções globais para ampliar lucratividade nesse setor. Rodadas de negócios estão sendo realizadas para a avaliação de propostas. Os investidores vislumbram o potencial de venda desse antioxidante em grande escala, já que ele comprovadamente reduz perdas e desperdícios dos frutos e hortaliças minimamente processados num momento em que tanto o agronegócio quanto o setor de alimentação buscam ampliar suas margens de lucros. Com isso, o insumo contribui não apenas tecnicamente para a qualidade do alimento comercializado, mas seu efeito multiplicador econômico estende-se para toda a cadeia. 
   
Sobre a M.Quality - A M.Quality é uma empresa de assessoria em imigração, negócios e intercâmbio para a Austrália. Fundada em 2001, é a única agência brasileira do setor que possui licença validada pelo governo australiano há mais de 18 anos. A M.Quality (http://www.mquality.com.br/ ) foi criada na Austrália e no Brasil por meio do empreendedorismo de MaCson Queiroz JP, engenheiro eletrônico pela Escola de Engenharia Mauá (SP), ex-instrutor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/SP) e reconhecido consultor imigratório no país. Com sede em Sydney, a empresa possui também escritório em São Paulo. Seu portal tornou-se uma das mais procuradas fontes seguras de informação sobre imigração e empreendedorismo para a Austrália entre brasileiros e latinos. Assista o vídeo clicando aqui.

domingo, 11 de agosto de 2019

Lista das ocupações mais seguras no programa de Imigração para a Austrália




Você tinha conhecimento que hoje estão disponiveis mais de 16800 vagas no programa de imigração para a Austrália para um seleto grupo de profissões que nem mesmo exigem o 2º. Grau completo para a maioria absoluta?  Você sabia que no último ano fiscal australiano houve menos que 13 candidatos desta lista de profissões: Carpenters, Joiners, Construction Managers, Bricklayers and Stonemasons, Wall and Floor Tilers? Você sabia também que existe um grande incentivo por parte do governo para que mulheres entrem nestas áreas profissionais? Ou seja, a escassez acentuada de profissionais qualificados destas ocupações  na Austrália é uma realidade nos centros urbanos e  principalmente nas cidades regionais, onde nestas últimas existem os maiores incentivos do governo federal para atrair tais profissionais.

Tem mais....

Para tornar-se elegível ao programa de imigração para a Austrália através desta lista de ocupações mais seguras nem mesmo experiência profissional será exigido, desde que faça um curso profissionalizante na Austrália e relevante em uma das ocupações da lista acima. Isto significa que após em apenas 2 anos de curso as suas chances de sucesso aumentarão enormemente na obtenção da tão sonhada residência permanente na Austrália em qualquer estado ou cidade da Austrália , dependendo de sua situação imigratória antes de iniciar o curso.

Muito mais....

O curso não vai-lhe custar mais do que A$1,300 dólares australianos por mês(~R$3.400,00) e após finalizado poderá tornar-se elegível para um visto de trabalho na Austrália e assim recuperar com lucro o investimento feito.

Lembrando que a taxa de desemprego mensal na Austrália nunca superou os 6,0% nos últimos 12 meses e a previsão é de que esse índice venha a baixar ainda mais nos próximos anos, de acordo com o site de economia Trading Economics.

Alguns estados da Austrália chegam a ter uma taxa bem abaixo de 3,5%, o que mostra que essas regiões estão desfalcadas de trabalhadores, principalmente para o seleto grupo de profissões apontado acima.

Se você realmente está procurando garantir uma melhor qualidade de vida a si mesmo e para a sua família a sua oportunidade é esta e deve decidir rapidamente, pois a demanda por uma vaga no programa de imigração para a Austrália tem aumentado exponencialmente e globalmente.

E mais ainda....

Incrível para a matrícula em um destes cursos profissionalizantes não vão exigir-lhe um conhecimento do inglês acima do nível intermediário. Ou seja, com apenas uma média de 5.5 pelo IELTS (“International English Language Testing System“) . Caso contrário, poderá optar por estudar inglês antes na própria escola.

Quero esta chance...

Então assegure-se em obter a informação que necessita está correta conversando antes com quem possa dar-lhe um SEGURO e GARANTIA de tudo o que diz ser real e verdadeiro em ESCRITO para evitar perdas financeiras e frustrações.

O processo de intercâmbio indicado numa consultoria imigratória passa inicialmente por entrevistas que avaliam o perfil individual e indicam a modalidade de visto mais adequada a cada solicitante. Informações completas acerca do contexto australiano e das oportunidades ofertadas pelo Departamento de Home Affairs (responsável pela política de migração) podem ser encontradas no portal da M.Quality (http://www.mquality.com.br/ ).

Sobre a M.Quality - A M.Quality é uma empresa de assessoria em imigração, negócios e intercâmbio especializada em processos de visto para a Austrália. Fundada em 2001, é a única agência brasileira do setor que possui licença validada pelo governo australiano há mais de 18 anos. A M.Quality (http://www.mquality.com.br/ ) foi criada na Austrália e no Brasil por meio do empreendedorismo de MaCson Queiroz JP, engenheiro eletrônico pela Escola de Engenharia Mauá (SP), ex-instrutor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI/SP) e reconhecido consultor imigratório no país. Com sede em Sydney, a empresa possui também escritório em São Paulo. Seu portal tornou-se uma das mais procuradas fontes seguras de informação sobre imigração e empreendedorismo para a Austrália entre brasileiros e latinos.