sábado, 27 de fevereiro de 2010

AUSTRALIA: O CICLO DE PROSPERIDADE REINICIA-SE

A economia australiana esta voltando ao seu normal: crescimento.  O indice de desemprego que mesmo no ‘pico’ da crise mundial nao chegou aos dois digitos, contrariando a previsao de renomados economistas, esta hoje  o menor entre os paises desenvolvidos.

Isto nao se constitui apenas retorica governamental, ja que o proprio Fundo Monetario Internacional (FMI) em sua recente previsao economica estima um solido e sustentavel crescimento da economia australiana para o ano de 2010.

Especialistas em economia sao quase que unanimes em apontar como a locomotiva chefe desta nova era de pujanca economica a mineracao. E nao tem como falar de mineracao da Australia sem citar o seu principal parceiro economico: China.

A crise terminou e a fome chinese pela mineracao esta revitalisada. Um bom exemplo dete fato ocorreu no inicio de fevereiro de 2010 quando o magnata australiano da mineracao, Sr Clive Palmer,  confirmou que sua empresa obteve o maior contrato empresarial da Austrália de exportação avaliado em US60 bilhões (R$ 113 bilhões) ao assinar um acordo para vender carvão para a China por um periodo minimo de 20 anos.

E com este surpreendente crescimento pos-crise as empresas de mineracao estao com dezenas de milhares de oportunidades de empregos na construção e operação da mina, porto e ferroviários durante esse tempo.

Somente no estado de Queensland há um excesso de nove mil vagas de empregos, apenas no setor de minas, que há meses não são preenchidas por causa da aguda escassez de mão de obra qualificada. A contratacao internacional cresce em ritmo acelerado devido aos acordos comerciais realizados e o  profissional brasileiro e’ muito benvindo a Australia.”, garante o empresário MaCson Queiroz JP, diretor da MQuality.

E as expectativas, em médio prazo, são mais do que positivas para o brasileiro que pretende trabalhar na Austrália. 2010 é considerado pelos australianos como o ano do recrutamento paradoxo, ou seja, poucos vão mudar de emprego mas as vagas vão aumentar.

CONDIÇÕES BÁSICAS

Mas não basta arrumar as malas e partir para a Austrália. “Muitos detalhes e pré-requisitos devem ser observados e preenchidos”, alerta o diretor da MQuality. Apesar de não ser exigência absoluta para todas as vagas disponíveis, quanto mais fluente o inglês mais chances de sucesso terá o brasileiro no mercado australiano. O trabalho não qualificado exige níveis menos avançados de inglês mas não é tão bem pago, além do que permite reduzidas perspectivas de crescimento.
Portanto, estar qualificado é fundamental para quem pretende crescer. Para exercer algumas profissões as exigências são ainda maiores e muitos profissionais brasileiros são aconselhados a obter uma outra qualificação ou licensa australiana após a imigração.

Caso não tenha um bom nivel de ingles, o recomendavel e’ que possua condicoes de adquiri-lo dentro de 12 meses preferencialmente estando na Australia . Em caso de migração para trabalho imediato é aconselhável obter-se um emprego menos qualificado inicialmente para que o profissional obtenha experiência no mercado australiano. “Posteriormente, as chances de algo mais promissor são bem maiores”, afirma MaCson.

-----------------------------------------
Mais informações:
Departamento de Imigração e Cidadania da Austrália ( Department of Immigration and Citizenship) - www.immi.gov.au
M.Quality - www.mquality.com.au  (em português) - (11) 2171-1513 
Postar um comentário